Na Paraíba

Na Paraíba, UFCG desenvolve máscara cirúrgica que retém e mata coronavírus

Os pesquisadores do Laboratório de Avaliação e Desenvolvimento de Biomateriais do Nordeste (Certbio), da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), estão desenvolvendo uma máscara cirúrgica biodegradável, com material capaz de reter o vírus da covid-19 (SARS-CoV-2) e matá-lo. Apesar de ser descartável, a máscara tem durabilidade de até 24 horas seguidas de uso.

O projeto já está com os resultados prontos e deverá ser homologação para a produção das máscaras.

“Essa é uma máscara cirúrgica especial que através da utilização de um elemento chamado quitosana que impede totalmente a contaminação, através do vírus, e ainda promove o extermínio desse elemento. Esse projeto foi escolhido entre os 18 outros projetos selecionados no edital da Fundação de Apoio a Pesquisa na Paraíba. Esse está com resultado final. A etapa seguinte é feita com homologação e iniciar o processo de produção já que existe empresas interessadas. É importante falar que esse elemento não trata, mas impede o bloqueio físico do coronavírus. Essa substância quitosama é um reforço químico para as mascaras convencionais”, afirmou o João Azevêdo, durante o Fala Governador desta segunda-feira (03), na Rádio Tabajara.

Clique para comentar

Você precisa estar logado para fazer um comentário Conecte-se

Deixe um Comentário

Mais popular