Colunistas

São Pedro o Homem da água que era pedra – Por André Aguiar

Um tesouro eterno foi descoberto por São Pedro quando encontrou Jesus, na verdade, André seu irmão já havia falado sobre o mestre da Galileia, aliás, foi naquele mar, diria a beira mar, que ele começou o seu apostolado, a caminhar por águas mais profundas.

Contam os evangelistas que Jesus entrou na barca de Pedro quando lhe fez a proposta de lançar as redes novamente. Em primeiro plano Pedro contra argumentou, dizendo que havia passado a noite inteira pescando e que pela sua experiência não valeria a pena, mas que por força de sua palavra faria como pedido pelo Galileu. Pedro viu assim nascer um milagre quando jogou as redes do outro lado da barca, pois foram tantos peixes que a rede quase não suportava. Ali naquela oportunidade, uma brasa no peito de Pedro foi acesa e começou a modelar seu coração de pedra.

Sabe-se que a pedra pode designar um mineral ou uma rocha, sua origem advém de substâncias quando em fusão numa lava vulcânica, por exemplo, formam cristais quando a lava resfria, sais dissolvidos em água formam cristais quando a água evapora.

O coração humano de Pedro, representando aquele húmus, o que vem da terra, foi aquecido, entrou em ebulição naquele mar, naquelas águas, foi transformado em pedra preciosa, “imitando” a natureza quando as rochas sofrem erosão com a ação do vento e da água. Esses fragmentos se cristalizam, dando origem a valiosas pedras.

Foi sem nenhuma explicação que Jesus sondou e vislumbrou naquele homem rude com mãos calejadas a sua humanidade e disse: “E eu te digo: Tu és pedra e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares sobre a terra, será ligado também nos céus”. 

De temperamento colérico, Pedro reagiu com vigor quando no ato da prisão de seu mestre, cortou a orelha de Malco, um soldado romano, sendo de pronto alertado que, quem com ferro fere, com ferro será ferido.

Antes disso, Jesus chamou o feito à ordem com ele quando perguntou por três vezes: Pedro tu me amas? A resposta nós sabemos, e o que de fato ocorreu também. Mesmo assim Jesus ainda diz: “Pedro, apascenta as minhas ovelhas”.

Depois de ressuscitado, o fato se repetiu, Jesus faz a mesma pergunta, Pedro tu me amas? E ele responde: “Senhor, tu sabes tudo, tu sabes que gosto de ti”. Ele já começava a compreender o que era de fato o Amor de Deus, ele não se atreveu a dizer que amava Jesus, pois ainda tinha  – mesmo depois ter testemunhado tantos fatos extraordinários, tantos milagres – ,  um coração temeroso.

Somente em pentecostes, depois de receber o fogo do Espírito Santo, Pedro se tornou um grande líder da Igreja do Senhor da ternura e da brandura, finalmente se deixou ser Amado pelo Amor, seu coração de pedra foi conquistado, transformado completamente, tornou-se uma Pedra preciosíssima, um templo vivo aos olhos de Deus, e porque não dizer por nós Cristãos Católicos.

Ele tinha o dom da cura de tal forma que as pessoas queriam tocar em seu manto, ou passar sob sua sombra para que fossem curados e libertados.

De fato, São Pedro assumiu as chaves da Igreja e seus sucessores, os Papas, são continuadores de sua autoridade e de sua missão dada pelo próprio Jesus cristo.

Por pregar o Evangelho destemidamente, São Pedro foi preso várias vezes. Uma vez, em Jerusalém, um anjo de Deus o libertou da prisão passando por vários guardas. Depois de evangelizar e animar a Igreja em vários lugares, Pedro foi para Roma. Lá, liderou a Igreja que sempre crescia, apesar das perseguições.

Assim, os romanos descobriram seu paradeiro,  prenderam-no e condenaram-no à morte de cruz, por ser o líder da Igreja de Jesus Cristo. No derradeiro momento, São Pedro pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, por não se julgar digno de morrer como seu Mestre.

Seu pedido foi atendido e ele foi morto na região onde hoje é o Vaticano. Seus restos mortais estão no altar da Igreja de São Pedro em Roma.

Mirando-se no testemunho de Pedro, a Igreja humana, navega em mares revoltos às vezes e calmos em outros, durante esses 2021 anos de sua existência, tendo Jesus como “Timoneiro” e Senhor, Ele está na barca porque simplesmente nos Ama como filhos preciosos, refletimos mesmo na nossa humanidade a imagem do Senhor, somos a Sua imagem e semelhança.

A gratidão nesse dia dedicado ao Pescador de Almas e Homens, tem o condão de transformar nossos dias cinza atuais em dias de novos céus e uma nova terra, basta deixar essa Luz entrar. Essa decisão simples nos livra, com efeito, de nossas insatisfações, somos libertos das nossas prisões como foi São Pedro, pois O Pai está no controle de tudo, de todos os mares da vida.

São Pedro rogai por nós!!!

Por André Aguiar em 29 de junho de 2021.

https://portals1.com.br/wp-content/uploads/2022/07/970x150-2-1.gif

Mais popular