Pandemia

Ministro da Saúde diz que Paraíba faz ‘gestão eficiente’ no combate à Covid-19

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, seguiu neste sábado (17) cumprindo agenda na Paraíba. Desta vez, ele esteve em Campina Grande, onde visitou o Hospital Pedro I e o Núcleo de Tecnologia em Saúde da Universidade Estadual da Paraíba (Nutes). Na cidade, Queiroga elogiou o trabalho da Secretaria de Estado da Saúde (SES) na distribuição devacinas por todas as cidades da Paraíba e no combate à pandemia. “Gestão eficiente”, disse.

Queiroga chegou por volta das 9h no Aeroporto João Suassuna, de onde seguiu para os locais programados. Ele esteve acompanhado do prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD), e de parlamentares federais da Paraíba.

Em entrevista coletiva, o ministro defendeu o Governo Federal no combate à pandemia, pediu que a população mantenha o distanciamento, use máscaras e evite aglomerações e prometeu novas remessas de vacinas nos próximos dias.

Além do Pedro I, o ministro da Saúde esteve ainda no Nutes, que desenvolve produtos contra a pandemia e para o Governo Federal.

Depois de João Pessoa, nessa sexta (16), e Campina Grande, a agenda de Queiroga na Paraíba termina neste sábado (17) em Patos, onde ele visita unidades de saúde e será recepcionado por políticos locais. A previsão é que ele siga para Brasília no fim da tarde deste sábado (17).

Os pedidos de Bruno Cunha Lima

O prefeito Bruno Cunha Lima formulou oficialmente três pedidos ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga: uma maior disponibilização de vacinas para os profissionais de saúde do Município, reforço na aquisição de medicamentos e ampliação no repasse de recursos, na ordem de R$ 4,6 milhões, para o tratamento do câncer.

Em relação às vacinas, Bruno Cunha Lima solicita a alteração do quantitativo de profissionais de saúde do Município, na base de dados do Ministério e no Plano Nacional de Imunização (PNI), de forma que a cidade possa receber a compensação do número de doses recebidas e, assim, ampliar a vacinação para todos os profissionais da área.

De acordo com o documento entregue ao ministro, por conta da pandemia do novo coronavírus, o número de profissionais de saúde em Campina Grande passou de 11.883 para 21 mil e a quantidade de doses que a cidade vem recebendo não foi atualizada. Feita a compensação, o Município poderá imunizar, já nesta etapa da campanha, todos os profissionais da área de saúde e não só os que estão na linha de frente do combate à covid, como vem ocorrendo.

Reforço de medicamentos – Em outro documento, o prefeito apresentou ao ministro Marcelo Queiroga um relatório detalhado sobre a situação da Rede de Abastecimento Farmacêutico do Município, no tocante ao enfrentamento à covid. O relatório aponta, entre outros pontos, o crescimento significativo da demanda por medicamentos, materiais médicos hospitalares e Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e a consequente dificuldade na aquisição desses materiais, por não haver fornecedores que disponibilizem estoques suficientes para suprir toda a demanda.

Verba para oncologia – Em outro documento, o prefeito Bruno Cunha Lima resume a situação do setor de oncologia na cidade, sobretudo no que diz respeito à limitação dos recursos financeiros, em detrimento da demanda cada vez mais crescente, o que acaba comprometendo o atendimento. Neste sentido, Bruno solicitou uma nova recomposição, em caráter imediato, do teto financeiro de oncologia clínica, cirúrgica e ambulatorial, para o Município.

O documento entregue a Marcelo Queiroga mostra que, com base na produção executada, no período de janeiro a setembro de 2020, o município acumula um déficit que ultrapassa os R$ 4,6 milhões.

com portal correio

Mais popular