Colunistas

Filhos do Céu – por André Aguiar

Há na humanidade uma necessidade de Céu, desde os primórdios dos tempos, em todas as culturas e povos olhamos para o alto, temos sede de céu, seja para contemplá-lo, seja para interpretá-lo, ou ainda ouvi-lo, é por assim dizer, um “território” que nos atrai, brilhamos os olhos, há nele uma magnitude, no infinito do azul, nas estrelas lá bem longeee.

Hoje mesmo com toda a tecnologia e ciência, esse céu físico é um lugar desconhecido, falo daquele céu das galáxias, segundo constatei em uma apertada pesquisa, existeprovavelmente cerca de 2 trilhões de galáxias no universo observável, contendo mais estrelas do que grãos de areia no planeta Terra. Em sua maioria elas possuem de 1.000 à 100.000 mil parsecs (é uma unidade de comprimento usada para medir as grandes distâncias de objetos astronômicos fora do Sistema Solar) de diâmetro e são separadas por distâncias da ordem de milhões de parsecs. Que maravilha!

Etimologicamente a palavra céu vem do latim caelum, que significa brilhante, pode-se dizer ainda tratar-se de regiões que estão acima da superfície da terra onde estavam situados os “corpos celestes”.

Chamado na bíblia de shamayim também é considerado como a morada de Deus e seus anjos. Todavia, o termo é também usado comumente como sinônimo de outras palavras significando a morada dos justos em algum momento após sua morte, tal como “paraíso”.

O Catecismo da Igreja Católica conduz o significado de Céu para uma linguagem mais acessível e compreensível ao dizer que “o céu ou céus pode designar o firmamento, mas também o ‘lugar’ do próprio de Deus: ‘nosso Pai nos céus’ (Mt 5,16) e, por conseguinte, também o ‘céu’, que é a glória escatológica. Finalmente, a palavra ‘céu’ indica o ‘lugar’ das criaturas espirituais – os anjos – que estão ao redor de Deus” (CIC 326). 

Tudo isso transcende a nossa razão, é preciso uma “visão” mais simples para tentar compreender, explico: 

 Eu como tantos outros nessas festas de final do ano olhei para o céu, acho que por essa atração onde nós terráqueos, temos uma tendência natural para admirar o alto dos céus, buscando respostas para as nossas dúvidas e aflições, os nossos agradecimentos, os nossos pleitos, inconscientemente ou conscientemente fazemos isso, talvez por essa filiação que une céus e terra.

Embora seja uma atitude comum à humanidade esse olhar para o céu, ele não basta para mudar nossa realidade, o nosso futuro nos tempos que advirão, nem muito menos o nosso presente, é preciso construí-lo a partir de nossas atitudes e ações. O céu começa em nós, dentro de nós e a partir daí, desde as pequenas coisas até as grandes, pensamentos e atos, se faz necessário edificar esse edifício que nos conduz à morada eterna no céu infinito, confiando naquelas santas palavras de Jesus; “Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar para vós. E depois que eu tiver ido preparado um lugar para vós, voltarei e os levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também.

Que venham novos Céus e uma nova terra!!! Somos filhos do Céu, filhos de Deus.

Por André Aguiar, em 01 de janeiro de 2022.

https://portals1.com.br/wp-content/uploads/2022/04/970X50.gif

Mais popular