Notícias

Cubana volta a acusar Maradona de violência sexual e tráfico de pessoas

A cubana Mavys Álvarez, que move um processo na Justiça argentina com uma denúncia por suposto tráfico de pessoas contra o ex-jogador Diego Maradona, morto um ano atrás, voltou a afirmar que o astro a submeteu a violência sexual. Além disso, Mavys acusou o governo de Cuba de envolvimento, nesta segunda-feira (22), em entrevista coletiva.

“Deixei de ser uma criança, toda a inocência foi roubada. É difícil. Você deixa de viver coisas inocentes que cabem a uma menina dessa idade. Não quero pensar muito nisso”, disse Álvarez na entrevista, em Buenos Aires.

“Minha família nunca teria aceitado se o governo de Cuba não tivesse sido um intermediário… Eles os obrigaram a aceitar uma relação que não estava bem para eles nem para ninguém”, acrescentou Álvarez aos jornalistas.

De acordo com a mulher, Maradona obteve ainda a autorização de Fidel Castro para sair da ilha e levá-la para a Argentina em 2001.

“Cheguei ao aeroporto, não me lembro de ter passado pela alfândega; depois nos hospedamos no Hilton, e não visitei muitos lugares realmente, somente saí três vezes”, disse.

Mavys chegou há alguns dias à Argentina para testemunhar diante da Justiça em uma investigação preliminar por suposto tráfico de pessoas com fins sexuais, na qual fez acusações a várias pessoas do círculo íntimo de Maradona, que morreu em novembro do ano passado. (R7)

Mais popular