Flamengo

“Flamengo não sabe valorizar seus jogadores”, diz Jorge Jesus

Em pouco tempo de trabalho, Jorge Jesus comandou uma revolução vitoriosa no Flamengo. Mas o treinador espera ainda mais do clube em 2020. Um dos pontos de evolução, de acordo com o Mister, está na valorização dos jogadores do clube.

Em longa entrevista ao canal “CMTV”, de Portugal, Jesus abordou a negociação envolvendo Reinier, que se aproxima de um acerto com o Real Madrid, e criticou as cifras.

“O Flamengo não sabe valorizar a sua marca. O Reinier não pode ser vendido por 30 milhões de euros. Nisso o Benfica é espetacular, porque vende até mesmo acima dos valores. O Flamengo ainda não sabe valorizar os seus jogadores

Jorge Jesus espera um Flamengo ainda mais forte em 2020 — Foto: Reuters

Jorge Jesus espera um Flamengo ainda mais forte em 2020 — Foto: Reuters

Nas mais de três horas de conversa, o português fez questão de destacar o carinho dos torcedores e analisou o planejamento para 2020. Com contrato até o meio do ano, Jesus acredita num Flamengo ainda mais forte com os reforços.

– Eles querem contratar mais seis, sete jogadores para montar um plantel. Estou seguro que a equipe do Flamengo vai ficar mais forte, é mais tempo de trabalho, as ideias vão se juntando.

O trabalho, marcado pelos títulos do Brasileiro e Libertadores, chamou a atenção do mundo. Jesus revelou que as propostas apareceram antes mesmo do fim da temporada, por valores fora da realidade, mas que o foco estava no Flamengo.

– Eu fui convidado por duas equipes chinesas, onde me pagavam o que nenhum do mundo ganha. Antes da final da Libertadores. Eu disse a eles que antes da final da Libertadores e principalmente do Mundial eu não queria discutir isso, meu foco não era esse. Meu foco era o Flamengo, uma decisão. Foi passando o tempo, faltava uma semana para a gente jogar a final do Mundial, uma dessas equipes foi ao Brasil. Disseram que eu tinha que assumir antes da final. E eu disse não. Enquanto não falar com os dirigentes e disputar a final, eu não discuto isso. Eles foram buscar outras soluções, e eu disse “ok”.

VEJA OUTROS TRECHOS DA COLETIVA:

Críticas a Renato Gaúcho – “Eu achei que só poderia responder as críticas com trabalho, foi o que fiz. Renato também nunca saiu do Brasil, nunca ganhou um Brasileiro. Mas é um treinador querido no Brasil, antes de eu chegar era o número um”.

Desafio da Temporada – “O Flamengo no ano vai ter um grande adversário: o Flamengo. Vai ter pela frente todos os recordes que escrevemos. Esse é o grande desafio que vamos ter para o ano”.

Baixas no elenco – “Um posso perder, os dois não (Gabigol e Bruno Henrique). O Gabigol não é jogador do Flamengo, é dA Inter. O Bruno Henrique tem muita gente em cima dele, principalmente chineses”.

Mudanças no Flamengo – “Comecei a ver qual era a ideia do Flamengo em termos de viagem. Avião comercial, os jogadores antes de irem para o avião, muito tempo em pé. O Flamengo é um clube nacional, os torcedores sempre em cima dos jogadores, não descansavam, uma grande confusão. Eu tinha que mudar isso. Chamei os responsáveis e perguntei, “vocês querem ser campeões? Querem ser diferentes? Temos que mudar isso”.

Mais popular